TOCA arte ação criação

um espaço de mobilização e articulação de ideias 

 
Em 2011, Janete El Haouli decide buscar desafios além da UEL, instituição que atuou por 30 anos como docente (1981_2011), como idealizadora e coordenadora do Núcleo de Música Contemporânea da UEL__NMC (1994_2008), como diretora da Rádio UEL (2001_2005), como diretora da Casa de Cultura UEL (2007_2010), entre outras atividades. 
  
No início desse ano de 2012, resolve inaugurar um espaço cultural (intimista) chamado TOCA : arte ação criação. Esse espaço é, de certo modo, a ‘continuidade filtrada’ do Núcleo de Música Contemporânea_NMC (abaixo, mais informações sobre o NMC). 
  
Em 2012, esteve à frente da Diretoria de Informação e Comunicação do Centro Cultural São Paulo__CCSP, um dos mais importantes espaços culturais da América Latina, trabalho esse que foi um enorme desafio. Durante esse período, entre as várias atribuições (site, assessoria de imprensa, laboratório de Rádio e TV, núcleo de fotografia e de projetos gráficos etc...) coube fazer a curadoria do projeto Anilla CulturalLatinoamérica – Europa, uma rede de co-criação, colaboração e participação que integra América Latina e Europa no campo da ação cultural contemporânea a partir do uso das Tecnologias da Informação e Comunicação e Internet de segunda geração (internet 2.0). 
  
Essa experiência em refletir sistemas de rede tem sido objeto de reflexão já há algum tempo e está em processo de viabilização pela TOCA projetos colaborativos com pesquisadores e artistas de vários países. 
  
Na TOCA, o objetivo é estimular encontros e realizar estudos, pesquisas, reflexões, produções em música, artes sonoras e conexões inter-trans áreas, propiciando, desse modo, o convívio intelectual e artístico com os públicos interessados. 
  
Em fevereiro, a TOCA foi aberta/inaugurada de modo intimista (como pretende ser) e contou com a presença do professor e compositor José Augusto Mannis (UNICAMP), Daniel Belquer (artista sonoro de Londrina, residente no Rio de Janeiro) e de Janete El Haouli, intervindo através de uma performance / improvisação livre com paisagens sonoras, piano de brinquedo e meios tecnológicos. 
  
  



De fevereiro até agora, a TOCA recebeu muitos visitantes e já está preparada para a programação que vai iniciar a partir desse mês de julho com a oficina ‘INVENÇÕES RADIOFÔNICAS’. Em agosto (de 08 a 10) será ministrado o curso ‘AS VOZES DA VOZ : os limites expandidos dos cantos de Diamanda Galas, Fatima Miranda e Meredith Monk’ (já com 25 participantes inscritos). Em novembro (de 10 a 14), a TOCAvai realizar o encontro chamado CEM RUÍDOS__sonâncias e ressonâncias’, um encontro para refletir sobre os 100 anos da publicação do tratado ‘A Arte dos Ruídos’, pelo pintor, músico, inventor e futurista italiano Luigi Russolo. Esse tratado propôs, pela primeira vez, a incorporação de ruídos à música e influenciou inúmeros artistas do século XX. Em resumo, a proposta é pensar o ruído no cerne da música, das artes visuais e sonoras, da poesia sonora, da ecologia sonora e suas ressonâncias na psicanálise, na antropologia e na comunicação. 

  

INVENÇÕES RADIOFÔNICAS 
  
Trata-se de uma oficina em que o rádio _ cultural, educativo, livre, comunitário, web _ será tratado como mídia criativa e não reprodutiva. O objetivo será proporcionar aos participantes informações (verbais e sonoras) visando a reflexão, a prática e a criação radiofônica. 
  
Será ministrada por Janete el Haouli e Valquir Fedri 
  
Programação: 
  
Manhã [10h às 12h] : reflexões radiofônicas 
_ escuta comentada de repertórios radiofônicos históricos e atuais; 
_ reflexões teóricas e conceituais a partir de ideias sobre e para o rádio; 
Tarde [14h às 16h] : práticas radiofônicas 
_ exercícios de escuta e de gravações de paisagens sonoras 
_ captação, gravação e edição sonora (estúdio móvel) 
  
Serviço: 
  
15 a 19 de julho: 10h às 12h | 14h às 16h__Rua Pernambuco, 390_15º. Andar, sala 1505 
Horário : 10h às 12h | 14h às 16h 
Vagas : 10 
Contatos com Janete El Haouli, pelo telefone 9912 3000 ou janete.haouli@hotmail.com 
Se possível, os participantes deverão trazer seu notebook e, se possível, um gravador digital portátil. 
Valor: R$ 200,00



ORIGEM DA TOCA 

_ Criei e coordenei, durante 14 anos (1994_2008) o Núcleo de Música Contemporânea, na UEL, um projeto que surge a partir do convênio firmado entre a UEL com o CDMC/UNICAMP no âmbito do projeto Brasil/França. No NMC, o objetivo foi reunir documentação sonora, impressa e audiovisual oriunda de diversos países, realização de cursos, eventos, produção do programa ‘Musica Nova : rádio para ouvidos pensantes; grupos de estudos sobre temas diversos. Nesse período em que coordenei o NMC, fui responsável pelos Grupos de Estudos nas áreas de Rádio; Ecologia Sonora; Educação Sonora Experimental; Etnomusica e Contemporaneidade. Ressalta-se que o NMC foi um projeto inter-trans áreas e esse diálogo foi fundamental para o desenvolvimento dos projetos durante todo o seu período de existência. 
  
_ Nesses 14 anos em que estive à frente desse projeto, se solidificaram três áreas de interesse que tenho me dedicado e desenvolvido estudos, pesquisas e projetos de criação: 

1.        Poéticas experimentais da voz. Em particular, a pesquisa sobre o artista e investigador da voz egípcio-greco-italiano Demetrio Stratos. Essa pesquisa, desenvolvida em meu mestrado, na ECA_USP (1993) foi publicada na Itália em 1999, Brasil e México assim como foi e tem sido difundida por meio de palestras em vários países e se tornou referência para uma série de outra pesquisas sobre Voz pois essa pesquisa reuniu, pela primeira vez, quase toda documentação sobre esse artista. 
2.        Rádio. O Rádio como mídia criativa, como linguagem artística, como instrumento sonoro. Produzi, durante 14 anos o programa ‘Musica Nova_Rádio para ouvidos pensantes’, na Radio UEL FM, trabalho esse que acabou sendo objeto de minha pesquisa de doutorado, realizado na ECA-USP. 
3.        Ecologia Sonora. Trabalho que teve início em meados dos anos 1980, quando criei a Oficina de Música em Londrina, projeto de pedagogia experimental (1984_1986), depois com a ida de Murray Schafer a Londrina e a criação do Grupo de Estudos. Esse trabalho teve vários desdobramentos tendo a participação de estudantes e professores dos cursos de Música, Artes Cênicas, Artes Visuais, Biologia, ADM e Arquitetura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário