FALA PALHAÇO! Aquele sobre amizade



Aquele sobre amizade
por Ale Simioni


Tenho poucos amigos.

Quando digo amigo, quero dizer AMIGO!

Tenho muitos colegas de trabalho, colegas de profissão, conhecidos e pessoas que já foram muito próximas, mas hoje por um motivo ou outro se distanciaram. Esse é um movimento natural da vida.

Quando penso em amizade a primeira coisa que NÃO me vem à cabeça é naquela pessoa que vive grudada com você, fazendo tudo junto, “babando seu ovo” ou dizendo só o que você quer ouvir. Nesse caso, acho bom ficar de olho, porque pra mim, amigo é aquele que algumas vezes diz o que a gente não  quer ouvir.

Uma vez no trabalho, conheci uma pessoa extremamente perfumada. O perfume não era ruim, não. Exagerado! Mas tão exagerado, que a gente podia ver o odor em volta ou seguindo a pessoa. É... o cheiro tinha forma de tão denso que era! Uma coisa de dar dor de cabeça em quem estava por perto.

No meio de um comentário sobre esse perfume, uma senhora que trabalhava na limpeza disse: “Acho que essa pessoa não tem amigos”. Silêncio geral. Finalmente alguém perguntou: “Por que?”. E ela, na lata: “Porque um amigo de verdade diria que o perfume está exagerado!”

Às vezes o amigo tem que fazer o papel de advogado do Diabo!

Tem amizade pra tudo quanto é gosto:

Aquela que a gente cria na infância e leva pra vida toda.

Aquela que a gente conhece hoje, mas parece que conheceu na infância ou há mais tempo, até.

Aquela que a gente cria no ventre da mãe e não vive sem.

Aquela que é tão forte que a gente chama de irmão.

Aquela que é de irmão, e a gente também chama de amigo.

Aquela que a gente só encontra de vez em quando, mas quando encontra, parece que foi ontem e os assuntos deslancham que é uma beleza.

Aquela que a gente briga, briga mas não fica sem.

Aquela que é colorida.

Aquela com prazo de validade.

Aquela que dá tão certo que vira até casamento.

Aquela que vai além do laço de família.

Aquela com transmissão de pensamento.

Enfim, existem tantos tipos de amizades, quanto pessoas no planeta. E cada um sabe como funciona a sua.

Em tempo de redes sociais, só não podemos esquecer que somos gente, não números.

Toda essa enrolação, só pra dizer que eu gosto mesmo é da velha e boa conversa, pessoalmente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário