FALA PALHAÇO! Da importância do Branco


Da importância do Branco

Gerson Bernardes



Muito se engana se entrou aqui motivado por discussões de cor de pele. Por Piolin, jamais seria. Não com esse título talvez. Enfim.
Também se engana se acha que o texto de hoje aqui traz grandes reflexões e teorias pós-modernas sobre a importância do Palhaço Branco. Primeiro que não sei da pós-modernidade. Segundo porque, muito embora seja a referência, não é o tema central falar aqui do Palhaço Branco.
Uma curta e medíocre explicação sobre o que é o Palhaço Branco se você não conhece da técnica de palhaço. Também não conheço, por isso medíocre.
Existe uma divisão, sendo bem simplista, no jogo do palhaço que é tão clássica quanto a existência da vida. O palhaço Augusto e o Branco.
Apesar de maiores variações e estudos de caso, de maneira simples o jogo é esse, e ponto. O palhaço Branco representa a autoridade, a suposta sabedoria, a sociedade, o sistema. O Augusto o povo, o supostamente menos esperto.
Nesse jogo, o Branco levanta para o Augusto cortar. Um bom Branco não é nada sem um bom Augusto, e não adianta tentar saber se um é mais importante do que o outro, pois nenhum é.
Dadas as devidas explicações, quero dizer da importância do palhaço Branco no nosso todo cotidiano.
Digo isso porque é muito fácil ser o Augusto no dia-a-dia se temos um bom Branco nos auxiliando. 
É muito fácil roubarmos a cena se temos um bom Branco levantando para a gente cortar.
Fica muito fácil viajar o mundo enquanto o Branco não saiu do país por falta de tempo. 
É ainda mais fácil viver o dia (ou a noite) como se fosse o último enquanto tem alguém cuidando para que ele não o seja.
O texto de hoje, e sim, quase que encerro, é uma homenagem a todos os palhaços Brancos, e aos não palhaços que exercem esse papel diariamente.
No jogo do palhaço há espaço para todos. Acredito que no jogo da vida (sim, também lembrei do carrinho andando pelo tabuleiro) também há espaço para todos.
Convenhamos, depois de tantos anos, não seria ruim ver o Dedé ganhar uma vez!

Nenhum comentário:

Postar um comentário