CineSesc Mostras Temáticas - Quatro Solidões

Quatro solidões

A programação que inaugura a edição 2012 do CineSesc Mostras Temáticas é composta por uma seleção heterogênea de quatro filmes. Em comum, os trabalhos dividem a posição de destaque dentro das carreiras dos respectivos diretores – Coppola, Ozu, Bergman, De Sica –, nomes consagrados do cinema de arte e sinônimos de obras extensas que deixaram marcas indeléveis na história do cinema. Por isso, estas produções, cartas marcadas de inúmeras listas de melhores filmes, podem servir ao espectador iniciante como uma introdução, não apenas às filmografias de seus realizadores, mas também a um escopo mais amplo de filmes assemelhados pelo estilo, que são usualmente agrupados em conjuntos historicamente consolidados, como é o caso, por exemplo, do Neorrealismo e da Nova Hollywood. Os filmes também tratam de solidão, tema que, embora não seja central a todos os filmes, pode servir de fio condutor para apreciação do programa. Esperamos que o cinéfilo veterano encontre na seleção um convite para uma agradável revisão e que o espectador neófito descubra nos filmes e neste catálogo um pontapé para explorar, por conta própria, os caminhos mais diversos tomados pelo cinema.






13 de março - terça - 20h
entrada franca

A CONVERSAÇÃO
The Conversation / EUA / 1974 / 113 min.

Direção: Francis Ford Coppola
Roteiro: Francis Ford Coppola
Produção executiva: Francis Ford Coppola, Fred Roos
Música: David Shire
Montagem: Richard Chew
Direção de fotografia: Bill Butler, Haskell Wexler
Elenco: Gene Hackman, John Cazale, Frederic Forrest, Harrison Ford
Classificação indicativa: 14 anos
Prêmios: Palma de Ouro – Festival de Cannes (1974); Melhor filme, diretor e ator – National Board Review (1974); Indicado para o Oscar de Melhor filme, melhor som e melhor roteiro (1974)

Sinopse: Harry Caul, especialista em escutas clandestinas, envolve-se na trama conspiratória depois de registrar a suspeita conversa de um casal.

Francis Ford Coppola – Aspas
“Qualquer coisa construída em larga escala ou com grande paixão é um convite ao caos”

“A maneira mais fácil de fazer um filme bem sucedido é fazer muito bem um filme tradicional. Se você fizer um filme levemente incomum, ou não seguir exatamente as regras de maneira que elas são entendidas por todos, aí você cai em desgraça ou, como com Apocalypse Now, precisa esperar 20 anos para escutar que o filme é na verdade bom.”

Filmografia relacionada:
Apocalypse Now (Francois Ford Coppola, 1979, EUA). Universal.
O Fundo do Coração (Francis Ford Coppola, 1982, EUA). Lume Filmes.
O Franco-atirador (Michael Cimino, 1978, EUA). Universal.






14 de março - quarta - 20h



entrada franca

PAI E FILHA
Bashun / Japão / 1949 / 108 min.

Direção: Yasujiro Ozu
Roteiro: Kôgo Noda e Yasujiro Ozu baseado no romance Chichi to musume de Kazuo Hirotsu
Direção de fotografia de: Yûharu Atsuta
Montagem: Yoshiyasu Hamamura
Elenco: Chishu Ryu, Setsuko Hara, Yumeji Tsukioka, Haruko Sugimura, Hohi Aoki
Música: Senji Ito
Classificação indicativa: 14 anos.
Prêmios: Melhor filme, diretor, roteiro e atroz – Prêmio Mainichi (1950)

Sinopse: Noriko, uma jovem de 27 anos, está na idade de casar, mas insiste em cuidar de seu pai para não abandoná-lo em solidão.

Yasujiro Ozu - Aspas
“O cinema é drama, não é acidente.”

“Se sou fabricante de tofu, tudo que posso fazer é tofu – é o que estou sempre dizendo. (...) Mas, mesmo que tudo pareça igual para outras pessoas, eu descubro coisas novas, uma a uma, e, com interesse revigorado, dedico-me ao trabalho. Sou exatamente como um artista que continua a executar várias pinturas das mesmas rosas.”

Filmografia indicada
A Rotina tem seu Encano (Yasujiro Ozu, 1962, Japão). Cinemax.
Bom Dia (Yasujiro Ozu, 1959, Japão). Cinemax.
Estranhos no Paraíso (Jum Jarmusch, 1984, EUA). Magus Opus.







15 de março - quinta - 20h



Entrada franca



UMBERTO D.
Umberto D. / Itália / 1952 / 90 min.

Direção: Vittorio De Sica
Roteiro: Cesare Zavattini
Produção executiva: Giuseppe Amato, Vittorio De Sica, Angelo Rizzoli
Direção de fotografia: G.R. Aldo
Música: Alessandro Cicognini
Montagem: Eraldo Da Roma
Elenco: Carlo Battisti, Maria-Pia Casilio, Lina Gennari, Ileana Simova, Elena Rea, Memmo Carotenuto.
Classificação indicativa: livre.

Sinopse: Em Roma, Umberto Domenico Ferrari, um funcionário público aposentado, é despejado por não conseguir pagar o aluguel de seu quarto. Na companhia de seu cão, Umberto vaga pelas ruas, buscando viver com dignidade.

“Neorrealismo não é... realidade. É a realidade filtrada pela poesia, realidade transfigurada. Maioria dos filmes é hoje feita em estilo realista, mas eles são na verdade opostos ao neorrealismo”.

“Perdi todo o meu dinheiro nesses filmes. Eles não são comerciais. Mas estou contente por ter pedido dessa maneira. De ter como suvenires da minha vida filmes como Umberto D. e O Ladrão de Bicicletas.”

Filmografia indicada
Ladrões de Bicicleta (Vittorio de Sica, 1948, Itália). Versátil.
Matrimônio à Italiana (Vittorio de Sica, 1964). Spectra Nova.
Europa 51 (Roberto Rossellini, 1952). Versátil.






16 de março - sexta - 20h
Entrada franca




MORANGOS SILVESTRES
Smultronstället / Suécia / 1957 / 95 min.

Direção: Ingmar Bergman
Roteiro: Ingmar Bergman
Produção: Allan Ekelund
Direção de fotografia: Gunnar Fischer
Música: Erik Nordgren e Göte Lovén
Montagem: Oscar Rosander
Elenco: Cictor Sjöstrom, Bibi Andersson, Ingrid Thulin, Gunnar Björnstrand, Max von Sydow. Classificação indicativa: livre.


Ingmar Bergman - Aspas
“Filme como sonho, filme como música. Nenhuma arte atravessa a nossa consciência como o cinema e vai diretamente aos nossos sentimentos, nas profundezas escuras da nossa alma”.

“Fazer um filme é organizar um universo inteiro”.

Filmografia indicada
Persona (Ingmar Bergman, 1966). Versátil.
Gritos e Sussurros (Ingmar Bergman, 1972) Versátil.
Hannah e suas Irmãs (Woody Allen, 1986). Fox.

Nenhum comentário:

Postar um comentário