FALA PALHAÇO! Os buracos da minha rua

Lambreta e Mereceu em ilustração de Carlos Nascimento


Toda terça, uma coluna onde Gerson Bernardes e Alexandre Simioni escrevem sobre diversos assuntos, sempre sob a ótica do palhaço





Os buracos da minha rua
Ale Simioni




Vivemos em uma democracia. Democracia? Segundo alguns autores, existem pequenas diferenças entre as várias democracias existentes, mas basicamente:

"Democracia é o governo no qual o poder e a responsabilidade cívica são exercidos por todos os cidadãos, diretamente ou através dos seus representantes livremente eleitos.
Democracia é um conjunto de princípios e práticas que protegem a liberdade humana; é a institucionalização da liberdade."

Muito bem, vamos dizer que eu contrate um serviço de telefonia + internet + tv a cabo + um-monte-de-coisas-que-não-vou-usar. Faço um contrato com a empresa, que (simplificadamente) diz que eles prestam o serviço com qualidade e eu pago a mensalidade em dia. Digamos que depois de uns seis meses de serviços, a internet começa a ficar fora do ar por vários momentos do dia, que a TV à cabo comece a apresentar a imagem com chuvisco e alguns canais fora do ar. O que você faria eu não sei, mas eu ligaria na empresa, reclamaria, iria ao Procon, pediria desconto no período em que não recebi o serviço bem feito.

Aí que me pergunto, se vivemos em uma democracia, porque não fazemos isso com o serviço prestado pelo estado?

Todos os dias, no caminho da minha casa, atravesso pelo menos um quilometro de asfalto extremamente esburacado. Mas não é pouco não, são crateras. Já tive que trocar os pneus, suspensão, amortecedor, sem contar que levo pelo menos o dobro do tempo para fazer um trecho curto, por onde estão os buracos. Os moradores já reclamaram, fizeram abaixo assinado, chamaram a TV, mas nada disso resolveu.

Fico pensando: e se começarmos a tratar os serviços prestados pelo governo da mesma maneira que fazemos com as empresas privadas? Será que começa a resolver?

Eu quero desconto no meu IPTU, já que eles não consertam o asfalto, assim, com esse dinheiro, posso consertar meu carro. Eu quero desconto no INSS que é recolhido todo mês do meu salário, já que o serviço de saúde não nos atende dignamente.

Sabe aquelas plaquinhas que se proliferaram em todos os órgãos públicos, escrito:

Desacatar funcionário público no exercício da função ou em razão dela:Pena - detenção, de 6 (seis) meses a 2 (dois) anos, ou multa

Provavelmente, essa plaquinha ali em cima, não teria necessidade de estar à vista, se o serviço fosse bem feito. Ninguém (ou quase ninguém) fica nervoso quando é bem atendido ou quando é respeitado. A pessoa só “desacata” quando já está no limite da paciência de ser desrespeitado.

Então, pensei em fazer um crachá, e deixar pendurado no meu pescoço, para toda vez que for a um órgão público:

ATENDER MAL UM CIDADÃO É UMA FALTA DE RESPEITO. PENSE QUE NUMA PRÓXIMA VEZ VOCÊ PODE ESTAR NO MEU LADO DO BALCÃO.

Nenhum comentário:

Postar um comentário