FALA PALHAÇO! às 3as com Lambreta e Mereceu

Todas as terças, uma coluna onde Gerson Bernardes e Alexandre Simioni escrevem sobre diversos assuntos, sempre sobre a ótica do palhaço.


Lambreta e Mereceu em ilustração de Carlos Nascimento


DIVIRTA-SE

Ale Simioni


Há pouco estava em Curitiba e um amigo me contou uma história curiosa: Quando ele trabalhava em uma agência de turismo, estava num daqueles dias super "zuado", como ele mesmo disse, com a energia lá embaixo. Sabe aqueles dias que você pensa: "o que estou fazendo aqui?", pois é.


Nesse momento, entrou uma mãe com o filho, com idade em torno dos 7 anos. A mãe sentou e ficou esperando ser atendida. Segundo este meu amigo, também estava com uma expressão de "zuada". A criança sem a menor cerimônia também sentou-se para aguardar o atendimento, mas de cabeça para baixo. Olhando aquela cena, meu amigo pensou: "Cara, que vontade de sentar de cabeça pra baixo! Porque eu não posso mais fazer isso? Quando é que a gente perde essa inocência, fica enquadrado e para de sentar de cabeça pra baixo?" ou seja, quando é que a gente vira adulto, e deixa de ter prazer nas coisas que fazemos?


Foi aí que começou nossa conversa de verdade, porque respondi quase sem pensar: "Por isso que sou palhaço!". E quando eu digo, quase sem pensar, foi assim mesmo, porque depois de dizer é que fui refletir.


Indo mais fundo na reflexão desse meu amigo, penso: Quando decidimos que o trabalho tem que ser duro, penoso, estressante e tedioso para valer a pena o dinheiro que estamos recebendo? A gente até se sente mal quando diz que está se divertindo ou tendo prazer com o que fazemos para ganhar dinheiro.


Quando estou negociando uma apresentação, muitas vezes o contratante quase me diz: Mas você vai se divertir, fazer o que te dá prazer, e ainda quer que eu te pague? Quero sim! Porque quando o trabalho que eu faço proporciona tudo isso pra mim, pode ter certeza que a qualidade do serviço que você está contratando vale o dobro do que está pagando.


Imagine uma comemoração de uma prefeitura, ao ar livre, para toda a população (ou algo semelhante). Pra quem eles vão pedir que venha trabalhar de graça? O artista, claro! Porque o cara do som, está trabalhando. O cara do palco, está trabalhando. As pessoas da organização do evento estão trabalhando. Mas o artista, está se divertindo. Pra que ainda ganhar pra isso?


Mas e daí que o cidadão está se divertindo com o trabalho que escolheu? Divirta-se também. Sendo médico, advogado, contador, gerente, gari ou qualquer outra profissão.


DIVIRTA-SE! Porque eu, pode ter certeza que me divirto! E ganho pra isso!


Ah... e sabe aquele meu amigo, "zuado"? Tenho certeza que ele ainda vai sentar de cabeça pra baixo pra aguardar atendimento em uma agência de viagens!

Nenhum comentário:

Postar um comentário