FILO 2011 - Dia 7 - 16/06

“CAPÍTULO XXVI – CONTINUA A GRACIOSA AVENTURA DO HOMEM DOS TÍTERES E OUTRAS COISAS BONÍSSIMAS”

Imago Teatro de Animação (Londrina-PR)

Data: 16 de junho |Horário: 19 horas| Local: Teatro Londrina

Sinopse: No espetáculo da Imago Teatro de Animação, bonecos interagem com atores, em uma adaptação da fábula transcrita no Capítulo XXVI do livro Dom Quixote, de Miguel de Cervantes. É a história da bela princesa Melisendra, filha de Carlos Magno, raptada pelo rei inimigo Marcílio. A história do fidalgo Dom Quixote, cavaleiro da triste figura, encanta e influencia gerações e gerações desde que foi escrita (1605). Nesta montagem, o diretor Mauro Rodrigues empresta das formas teatrais espanholas e italianas da Idade Média certa acentuação farsesca e trovadoresca. Canto e ritmo do teatro de marionetes populares naqueles países, monta sobre decorado baú um tablado: o teatro de retábulo. Mostrado em feiras e praças públicas, os bonecos atuam diante de cenários pintados em painéis.

O grupo: O Capítulo XXVI é a terceira montagem da Cia. Imago de Teatro, que inclui outras duas obras cênicas de teatro de marionetes: Vis Motrix e Vortex. O grupo surgiu em Londrina, e já viajou o país se apresentando em Festivais. Além do FILO, o grupo á se apresentou no FIT de São José de Rio Preto, entre outros.

Retirado de www.filo.art.br e http://imagoteatro.wordpress.com/

Caso queira mais informações, acesse a notícia veiculada pelo Jornal de Londrina sobre o espetáculo, clicando aqui!

“A CURA”

Companhia Gira Dança (Natal-RN)

Data: 16 e 17 de junho |Horário: 20 horas| Local: Funcart

Sinopse: Vivemos em uma sociedade que cada vez mais vem se desprendendo das relações interpessoais, onde gestos de afeto e carinho são substituídos pelo medo. Vive-se um período preocupante de epidemias, desigualdades, violência e preconceitos. E, onde encontrar a cura disto tudo?

O espetáculo“A Cura”, baseia-se no mundo contemporâneo, sentenciados por um olhar homogêneo, norteado de interesses impostos pela sociedade de consumo. Um tempo marcado por competitividade e transformações. Mas afinal, em que estamos nos transformando?

O homem é feito ou desfeito por si mesmo, onde o seu pensamento constrói as armas com as quais destrói a si próprio. Desta forma, tudo aquilo que ocorre na sociedade é reflexo das atitudes de cada um que a compõe.

As insaciáveis buscas pela cura das problemáticas vivenciadas pelo homem estão sendo cada vez mais intensa, quando na verdade, a solução está mais perto do que ele próprio imagina.

O espetáculo “A Cura” foi premiado pela Fundação Nacional das Artes com o Prêmio Klauss Vianna. O espetáculo de dança foi apresentado em Berlim em abril deste ano e foi sucesso de público e crítica por todos os lugares que passou.

O grupo: Gira Dança é uma companhia de dança contemporânea formada por pessoas com e sem deficiência que tem como proposta artística ampliar o universo da dança através de uma linguagem própria, voltada para o conceito do corpo como ferramenta de experiências.

A companhia, criada em Natal (RN) em 2005 pelos bailarinos Anderson Leão e Roberto Morais, teve sua estréia nacional na Mostra Arte, Diversidade e Inclusão Sócio-cultural, realizada no Rio de Janeiro, em maio de 2005 e, desde então, tem apresentado em palcos de todo o Brasil um trabalho que rompe preconceitos, limites pré-estabelecidos e cria novas possibilidades dentro da dança contemporânea.

Aliado ao trabalho corpóreo, a companhia usa sua arte para instigar nos espectadores a discussão sobre os limites do corpo, além de desenvolver ações sociais, dentre as quais estão a realização de palestras e oficinas em instituições de ensino e organizações corporativas.

Retirado de www.filo.art.b, http://revistacatorze.com.br e http://www.giradanca.com.br/.


“TIO VÂNIA (AOS QUE VIEREM DEPOIS DE NÓS)”

Grupo Galpão (Belo Horizonte-MG)

Data: 16 e 17 de junho |Horário: 20h30| Local: Teatro Ouro Verde

Sinopse: Um dos textos teatrais mais cultuados do escritor russo Anton Tchekhov, “Tio Vânia (Aos Que Vierem Depois de Nós)” faz uma investigação sobre os mecanismos da coragem e da esperança. Narra a história de um sitiante que, em meio a um cotidiano tedioso, descobre que ainda tem muito a viver.

O grupo: O Grupo Galpão é uma companhia de teatro de pesquisa criado há 27 anos. Montando espetáculos de grande comunicação com o público, a companhia tem sua origem ligada ao teatro popular e de rua.

Sediado na cidade de Belo Horizonte, em Minas Gerais, o Galpão é um dos grupos que mais viaja, não só pelo Brasil, como também pelo exterior, tendo participado de vários festivais em dezessete países da América Latina, América do Norte e Europa.

Grupo de atores que trabalha com diretores convidados, o Galpão desenvolve pesquisas com vários elementos cênicos, com destaque para as linguagens do circo e da música (sempre tocada ao vivo pelos próprios atores), traduzindo para uma linguagem brasileira vários clássicos, numa fusão do erudito e do popular.

Retirado de www.filo.art.br e http://www.grupogalpao.com.br.

“O ANIMAL AGONIZANTE”

Direção: Luciano Alabarse (Porto Alegre-RS)

Data: 15 e 16 de junho |Horário: 21 horas| Local: Teatro FILO

Sinopse: Baseado na obra do escritor americano Philip Roth, “O Animal Agonizante” retrata a história de um professor universitário que, ao completar 70 anos de idade imerso na solidão, realiza um balanço de sua trajetória de vida. O espetáculo é um monólogo onde aparece desnudado o típico homem produzido pelos anos 60, com o amplo leque de liberdades sexuais, morais e comportamentais.

Retirado de www.filo.art.br.


Este post tem somente a intenção de aumentar a divulgação do Festival Internacional de Londrina 2011. Para informações mais detalhadas, consulte o site do Festival (www.filo.art.br) ou os sites dos grupos. Tudo o que contém neste post se encontra nos sites citados.

Para consultar a grade da programação do Festival,
clique aqui!

Nenhum comentário:

Postar um comentário