12ª MOSTRA LONDRINA DE CINEMA

De 8 a 12 de dezembro, acontece a 12ª MOSTRA LONDRINA DE CINEMA. Uma programação imperdível para cinéfilos e para quem quer conhecer um pouco mais da produção local e nacional de cinema.


Aquela velha conversinha de que o cinema nacional não apresenta produções de qualidade não cabe mais em nosso vocabulário. Por esse motivo, não fique restrito às produções da "Globo filmes" ou do blockbusters para assistir comendo pipoca e tomando coca-cola. Não que isso seja errado, eu mesmo adoro. Mas é importante ir além, aumentar o repertório, conhecer outras produções, outras fotografias, ritmos, modos diferentes de contar histórias. Inclusive para ter muito certo sobre o que gosta ou não gosta.


A Mostra Londrina de Cinema é uma ótima oportunidade para aumentar seu repertório cinematográfico, não deixe de prestigiar. 


Confira a programação completa:


12ª MOSTRA LONDRINA DE CINEMA
De 8 a 12 de dezembro de 2010
Realização: Kinoarte
Patrocínio: Petrobras (via Lei Rouanet) ePrefeitura de Londrina (via Promic)
Locais: Cine Vila Rica + Bar Valentino +Crystal Palace Hotel + Vila Cultural Cemitério de Automóveis
MOSTRALONDRINA.COM

PROGRAMAÇÃO OFICIAL
Dia 8 – QUARTA
20h – Abertura | Cine Vila Rica – Entrada Franca
Lançamento da Revista Taturana n.7
Revista Taturana foi criada pela Kinoarte em 2007 com o objetivo de aproximar linguagens como o cinema, a literatura e a fotografia. Com tiragem de 2 mil exemplares e distribuição gratuita em festivais de cinema, a revista tem periodicidade trimestral e conta com patrocínio do Governo Federal via Edital Pontos de Mídia Livre.
revistataturana.com |revistataurana@gmail.com
Galeria (Londrina, doc, cor, 15 min, HD, 2010) | Evelyssa Sanches
Com Ana Sardinha, Danilo Lagoeiro, Isadora Rara, Jonas Batista da Silva, Letícia Ferreira e Sidney dos Santos.
O teatro é mais louco que o crack. Experiência de um grupo de teatro que atua em unidades prisionais. Documentário produzido pelaKinoarte a partir da experiência do grupo Criando a Liberdade em Londrina.
Se Nada Mais Der Certo (SP, fic, cor, 120 min, 35mm, 2009) | José Eduardo Belmonte
Com Cauã Reymond, Murilo Grossi, Leandra Leal, Caroline Abras, João Miguel e Milhem Cortaz.
Aquele jogo na Barra Funda não deu certo, aquele serviço com o Gordo não deu certo, aquele truque do Antenor não deu certo, aquele negócio com o padre também não deu certo, aquele cara que o Abílio pediu pra votar não deu certo, aquele trampo era roubada, aquele DVD pirata que comprei não funcionou, aquele final de semana não deu certo… Mas tudo vai dar certo.
23h – Barbada | Bar Valentino | R$ 5,00
“Últimos Românticos” com Gisele Almeida (voz), Artur Gonzaga (vilão e voz) e Leonardo Cacione (percussão)

+ discotecagem BARBADA/EDGROOVE
casinha do bar valentino
av. faria lima, 486 / fone 43 3348 0791
A proposta deste trabalho é executar canções memoráveis de compositores nacionais e internacionais, destacando a homenagem á Beatles, clássicos do jazz standard, bem como Wally Salomão, Milton Nascimento e Roberto Carlos. Canções próprias também farão parte da programação, incluindo composições de Arthur Gonzaga e Gisele Almeida.
Dia 9 – QUINTA
14h – 6º Seminário de Cinema Contemporâneo | Cine Vila Rica – Entrada Franca
Apresentação e debate: Luiz Carlos Oliveira Jr. (revista contracampo)

Permanências
 (MG, doc, cor, 34 min, HD, 2010) | Ricardo Alves Junior
Com Alisson Machado de Souza, Marcos Magalhães, Vinícius de Morais, Rosemary Santos Cesário, Maria Aparecida, Normando Ferreira e Celso Oliveira.
Do lado de dentro o ar é mais denso.
Chantal Akerman, de Cá (RJ, doc, cor, 62 min, HD, 2010) | Gustavo Beck e Leonardo Luiz Ferreira
Com Chantal Akerman.
Um vídeo de entrevista com a diretora belga Chantal Akerman (Jeanne Dielman) em que ela reflete sobre sua obra, o cinema e a vida.
17h – Mostra Olhar Radical | Cine Vila Rica – Entrada Franca
Os Famosos e os Duendes da Morte (SP/RS, fic, cor, 95 min, 35mm, 2010) | Esmir Filho
Com Henrique Larré, Ismael Caneppele, Tuane Eggers, Samuel Reginatto e Áurea Baptista.
Um garoto de dezesseis anos fã de Bob Dylan acessa o mundo através da internet, enquanto vê seus dias passarem em uma pequena cidade alemã no interior do Rio Grande do Sul. A chegada de figuras misteriosas na cidade traz lembranças do passado e o leva para um mundo além da realidade.
19h – Debate | Cine Vila Rica – Entrada Franca


Londrina no cinema
Mário Bortolotto, Márcio Américo e Domingos Pellegrini
Debate entre autores londrinenses que tiveram a sua obra adaptada para o cinema.
20h30 – Competitiva Nacional de Curtas | Cine Vila Rica – Entrada Franca
Ensaio de Cinema (RJ, exp, cor, 15 min, 35mm, 2009) | Allan Ribeiro
Com Rubens Barbot, Gatto Larsen e Ana Alice de Morais.
Ele dizia que o filme começava com uma câmera muito suave, com um zoom muito delicado, e avançava em busca de Barbot.
Balanços e Milkshakes (MG, ani, cor, 9 min, 35mm, 2010) | Fernando Mendes, Erick Ricco
Com Ana Clara Moreira e Paulo Kayser Maia.
Um amor vivido por duas crianças é lembrado por um narrador.
Náufragos (BA, fic, cor, 15 min, 35mm, 2009) | Gabriela Almeida e Matheus Rocha
Com Haydil Linhares, Patrícia Rammos e Athanel de Carvalho.
Odete tenta adivinhar onde o marido teria se escondido. Mas não há esconderijo possível.
Ninjas (SP, fic, cor, 23 min, 35mm, 2010) | Dennison Ramalho
Com Flávio Bauraqui, Juliana Galdino, Carlos Meceni e Celso “Not Dead” Camargo.
Meu nome é Lúcifer. Tome minha mão…
22h – Mostra Olhar Radical | Cine Vila Rica – Entrada Franca
Dzi Croquettes (BRA, doc, cor, 110 min, digital, 2010) | Tatiana Issa e Raphael Alvarez
Com Liza Minnelli, Ron Lewis, Gilberto Gil, Nelson Motta, Marília Pêra, Ney Matogrosso, Betty Faria, José Possi Neto, Miéle, Jorge Fernando, César Camargo Mariano, Cláudia Raia, Miguel Falabella, Pedro Cardoso e Norma Bengell.
A trajetória do irreverente grupo carioca Dzi Croquettes, que marcou o cenário artístico brasileiro nos anos 70. O conjunto contestava a ditadura por meio do deboche e da ironia e defendia a quebra de tabus sociais e sexuais.
0h – Barbada | Vitrola Bar | R$ 7,00
Mayanga Project_ADUBA
+ discotecagem BARBADA
Vitrola Bar
av higienópolis, 2405 / fone 3339 1678
ADUBA
Projeto instrumental que interpreta ritmos jamaicanos em uma mistura de reggae, jazz, dub e ska.
O grave do baixo, a guitarra jazz, aliados as melodias de trombone, são as principais características do grupo. Em seu repertório: Ernest Ranglin, Bob Marley, Rico Rodriguez dentre outros mestres da música jamaicana.
Mayanga Project tem em sua formação Loof Mayanga (vocal), Mizão (guitarra), Filipe Barthem (baixo), Léo Cacione (bateria), Wesley César (sax) e Henrique Hayashi (trombone), todos músicos experientes e integrantes de bandas como Mama Quilla, Bafo Quente, É pra Jazz, Chá de Chocalho, entre outros.  O show: com releituras de músicos como Lula Queiroga, Silverio Pessoa, Edivaldo Santana, Gonzaguinha, Lenine, Paulo Diniz e Pedro Luis e a Parede, além de canções de autoria própria
Dia 10 – SEXTA
14h – 6º Seminário de Cinema Contemporâneo | Cine Vila Rica – Entrada Franca
Apresentação e debate: Luiz Carlos Oliveira Jr. (revista contracampo)
Avenida Brasília Formosa (PE, doc/fic, cor, 85 min, HD, 2010) | Gabriel Mascaro
Fábio é garçom e cinegrafista. Registra importantes eventos no bairro de Brasília Teimosa (Recife). No seu acervo, raras imagens da visita do presidente Lula às palafitas. Fábio é contratado pela manicure Débora para fazer um vídeobook e tentar uma vaga no Big Brother. Também filma o aniversário de 5 anos de Cauan, fã do Homem Aranha. Já o pescador Pirambu mora num conjunto residencial construído pelo governo para abrigar a população que morava nas antigas palafitas do bairro, que deu lugar a construção da Avenida Brasília Formosa. O filme constrói um rico painel sensorial sobre a arquitetura e faz da Avenida uma via de encontros e desejos.
17h – Mostra Olhar Radical | Cine Vila Rica – Entrada Franca
Diário de Sintra (RJ, doc, cor, 90 min, digital, 2009)| Paula Gaitán
Os últimos momentos de vida do diretor Glauber Rocha através do olhar de sua esposa, Paula Gaitán. Seus últimos dias foram ao lado da família na cidade de Sintra, em Portugal, em 1981.
19h – Competitiva Londrinense | Cine Vila Rica – Entrada Franca
Sweet Puppet (ani, cor, 2 min, digital, 2010) | Alex Angelis
Em uma velha casa, enquanto o vovô está dormindo e a vovó estava indo se sentar em sua cadeira de rodas, o pequeno netinho deste casal de velhinhos estava curtindo o seu carrinho de brinquedo quando de repente este se quebra.
Inglório (fic, cor, 13 min, digital, 2010) | Carolina Cianca e María Alejandra Sandoval
Com Guilherme Kirchheim e Edna Aguiar.
Eduardo, um rapaz que leva uma vida solitária e mora com sua avó que sofre de Alzheimer. Tenta arranjar um emprego para pode se sentir inserido na sociedade e também poder comprar um presente para sua avó. Baseado na coleção de quadrinhos Mundo Pet, de Lourenço Mutarelli.
Meu Sangue (fic, cor, 12 min, digital, 2010) | Mariana Oliveira e Marcos Costa
Com Margha Vine, Luiza Nogueira, Apholo Theodoro e Jessiara Menezes.
A pedofilia vista em uma visão distorcida e surreal.
Efígie (fic, cor, 6 min, digital, 2009) | Samantha Torres
Com Luiz Rafael Pessotto, Lara Lenarduzzi, Pamela Kettlen e Jéssica Oliveira.
Sem distinguir sonhos da realidade e com crises psicológicas cada vez mais constantes, o retorno de Thiago é marcado por reencontros. Depois de oito anos preso por ter assassinado o próprio pai, ele está à procura de alguém que o liberte através de um simples gesto de amor. Baseado na obra Transubstanciação, de Lourenço Mutarelli.
Los Niños no Mueren (fic/ani, cor, 10 min, digital, 2010) | Leonardo Delai Lucas
Com Selene Chiquero Almeida, Igor Szpakowski e Beatriz Paolielo Fernandes.
Para Nuria, uma menina de 12 anos, a morte não existe tal e como a conhecemos. Com esse segredo, tudo o que ela quer é poder consolar seu melhor amigo que padece de uma grave doença crônica. Uma história que não tem fim porque, em Los niños no mueren, a morte vem com passagem de ida e volta.
20h – Competitiva Nacional de Curtas | Cine Vila Rica – Entrada Franca
Tempestade (SP, ani, cor, 10 min, 35mm, 2010) | César Cabral
Um marujo solitário navega por oceanos tumultuados e tempestades, em busca do reencontro com sua amada. Segue uma rotina rígida de afazeres até que mudanças inesperadas na rota alteram seu destino.
Magnífica Desolação (SP, doc, cor, 19 min, 35mm, 2010) | Fernando Coimbra
O Homem, a Máquina e a Viagem. Impressões sobre o cotidiano dos maquinistas de trens de carga no Brasil.
O Sarcófago (BA, doc, cor, 19 min, 35mm, 2010) | Daniel Lisboa
Com Jayme Fygura.
Um homem e sua peleja contra o inevitável processo de corrosão da carne e a tentativa de dominá-lo, retardá-lo, ignorá-lo. Um pós-exu, um pré-cyborg que corta a cidade como uma nota rebelde de rock’n roll.
Handebol (RJ, fic, cor, 19 min, 35mm, 2010) | Anita Rocha da Silveira
Com Luiza Baccelli, Victoria Zanetti, Lucia Barros, João Pedro Marinho, Carol Lavigne, Larissa Biondo, Maria Clara Contrucci, Daniela Dillan, Morgana Grindel, Marianna Pastori e Lorena Comparato.
Bia é uma garota como tantas outras: gosta de rock, handebol e sangue.
21h30 – Sessão Especial – Cachaça Cinema Clube | Cine Vila Rica – Entrada Franca
Cachaça Cinema Clube aporta pela primeira vez no sul do Brasil para apresentar uma sessão especial na Mostra de Londrina. Com 8 anos de existência completados em agosto, o cineclube carioca tem como marca registrada a curadoria cuidadosa e peculiar, sempre procurando resgatar pérolas esquecidas da nossa cinematografia.
Como dizem que a primeira impressão é a que fica, o Cachaça se esmerou em sua sessão de estréia em terras paranaenses. Para deleite geral, preparamos uma seleção de filmes abordando personagens instigantes da cultura brasileira através de olhares surpreendentes. TemRaimundo Fagner, em curta de Sérgio Santos de 1978 que foi um dos recordes de bilheteria durante a “Lei do Curta”, pois precedia as exibições de “Os embalos de sábado à noite”, com John Travolta, grande sucesso da época. Tem também Manuel Bandeira em seu cotidiano, no belo clássico O poeta do Castelo, de Joaquim Pedro de Andrade. A genial ópera de Arrigo Barnabé serve de inspiração para A estória de Clara Crocodilo, obra retrô-futurista de Cristina Santeiro sobre o submundo paulistano. Completam a sessão dois curtas de Antônio Carlos da Fontoura realizados nas décadas de 60 e 70. Ver Ouvir, de 1966, é baseado na arrebatadora visualidade pop de três pintores: Roberto Magalhães, Antonio Dias e Rubens Gerchman. Meu nome é Gal, de 1970, misto de ficção e documentário, mostra a cantora em início de carreira e no auge da estética tropicalista. Antecipando o Natal, estes são os presentes doCachaça Cinema Clube para os amantes do curta-metragem.
Após a sessão, degustação de boa pinga e festa com DJ H, como manda a tradição.
Raimundo Fagner (RJ, doc, p&b, 15 min, digital, 1978) | Sérgio Santos
Com Raimundo Fagner.
Raimundo Fagner em show histórico e emocionante no Teatro Municipal de São Paulo, e também na intimidade do lar. Na contramão do engajamento político e das canções de protesto da MPB, o cantor fala de suas influências musicais, cuida do seu passarinho e curte um futebol com a rapaziada.
O Poeta do Castelo (RJ, doc, p&b, 12 min, 35mm, 1959) | Joaquim Pedro de Andrade
Com Manuel Bandeira.
Versos de Manuel Bandeira, lidos pelo próprio poeta, acompanham e transfiguram os gestos banais da rotina em seu pequeno apartamento no centro do Rio. A modéstia de seu lar, a solidão, o encontro provocado por um telefonema, o passeio matinal pelas ruas do bairro.
Meu Nome é Gal (RJ, fic/doc, cor, 12 min, digital, 1970) | Antonio Carlos da Fontoura
Precursor da linguagem pop dos videoclips, foi um trabalho desenvolvido pela produtora de Fountoura e David Neves em parceria com a gravadora Philips. Numa mistura de ficção e documentário, Gal canta e ora é acompanhada por uma câmera numa floresta densa, ora atua uma pequena cena do seu cotidiano, ajeitando a famosa cabeleira.
A Estória da Clara Crocodilo (SP, fic, cor, 11 min, digital, 1980) | Cristina Santeiro
Com Arrigo Barnabé, Durval de Souza, Célia Maracajá e Fernando Vaz.
São Paulo, 1984. Numa linguagem próxima das histórias em quadrinhos futuristas, o filme descreve a trajetória de um marginal urbano, num painel de opressão e violência que tem como trilha sonora a música Clara Crocodilo, de Arrigo Barnabé.
Ver Ouvir (RJ, doc, cor, 20 min, 35mm, 1966) | Antonio Carlos da Fontoura
A pintura fala através do trabalho de três jovens artistas, Roberto Magalhães, Antonio Dias e Rubens Gerchman, simplesmente devastadores na visualidade com que, em seus trabalhos, transmutam a cacofonia da cidade contemporânea.
0h – Barbada | Cemitério de Automóveis | R$ 10 (inteira) ou R$ 5 (meia)
DJ H (Cachaça Cinema Clube-Rio)
DJ H transita com maestria entre os mais variados ritmos, buscando sempre mesclar o inusitado e raro ao mais elementar. Em suas seleções estão presentes o rock’n roll, especialmente dos 50′s e 60′s, de diversas nacionalidades (Peru, Cambodja, Brasil, França…), balkan beat box, mambo, latin rock, eletro latino, neo disco e pós-punk intercalados por faixas experimentais, resultando em uma mistura sonora alegre e contagiante.
Aeromoças e Tenistas Russas + VJ (projeção ao vivo)Aeromoças e Tenistas Russas busca em suas composições unir o experimentalismo e a mistura de influências diversas com uma abordagem pop, dançante e de fácil acesso. Trabalhando com uma proposta instrumental com influências de Rock, Funk, Samba, Fusion e Acid Jazz o show da Aeromoças e Tenistas Russas é sempre descontraído – assim como próprio nome já indica – e com um caráter de celebração: a banda busca trazer para o público, no palco, a mesma irreverência, naturalidade e espontaneidade com que os membros da banda passeiam por todas os suas infuências para criar sua música.
Eles não são da Rússia, nem são aeromoças, tampouco usam raquetes: são quatro cabeças que se encontraram no audiovisual. Em 2007, após um ano cursando Imagem e Som, Juliano Parreira (baixo), Gustavo Hoolis (teclados), Nilo (bateria) e Thiago “Hard” (sax, guitarra e vocal) começam a ensaiar sem muita pretensão, alternando covers e algumas músicas autorais, apresentando-se localmente em festas de república e bares. No ano seguinte, com o aumento de shows em São Carlos e em cidades da região, o cover cede lugar às experimentações instrumentais. Ainda em 2008, a banda consolida a experiência de tocar ao vivo a trilha sonora, repleta de improvisos, do filme “Regen”, de Joris Ivens, que se transformaria no projeto de live-cinema Aparelho Diegético, com participação de DJ Youngman e VJ Ocari.
Iniciam 2009 com quatro músicas gravadas em estúdio, outras composições prontas e uma sonoridade peculiar, extremamente original. Cimentado no rock´n roll, o som carrega influências diversas, às vezes nem tão nítidas assim, como por exemplo, samba, groove, funk (“Saguis”), psicodelia estelar (“Solarística”), swing, jazz (“Jacques V.E.”) e acid jazz (“Insomne”), sempre  com alta dose dançante. No decorrer do ano, recebem convites de importantes festivais como o 3º Festival Contato, Festival Interunesp de Ilha Solteira, Sesc Araraquara e Macondo Circus 2009 (Santa Maria / RS).
Depois de ser um dos destaques no festival gaúcho, firmam em janeiro uma parceria com o Massa Coletiva – coletivo de produção cultural sãocarlense – centralizando o trabalho de circulação no país. Participam do Festival Grito Rock América do Sul 2010, realizando seis shows no interior paulista, em apenas 16 dias e em seguida, em conjunto com a banda mineira Porcas Borboletas realizam uma tournê por 11 cidades em 12 dias. Em 2010 a banda realizou 50 shows entre eles na Virada Cultural de São Paulo e nos Festivais PIB, Calango, Marreco e Cardápio Underground. Atualmente, Aeromoças e Tenistas Russas está lançando seu segundo clipe e gravando seu primeiro Álbum, previsto para o primeiro trimestre de 2011
Cinemática
O”groove” é o principal fio condutor do quinteto formado por Wesley Santos (sax), Mizão (guitarra), Leonardo Cacione (bateria), Filipe Barthem (baixo), e Mateus Gonsales (teclado), que explora rítmos pulsantes como o funk e o drum’n'bass, dentro da linguagem jazzística, onde a liberdade e a surpresa estão sempre presentes. No repertório composições de Herbie Hancock, The Meters, Dave Brubeck, John Scofield, Tim Maia, Steve Wonder, Bob Marley e John Coltrane.
Bruno Morais
Bruno acaba de lançar seu novo e já elogiadíssimo CD “A Vontade Superstar” lançado em 2009 pela YB MUSIC com a marca impressionante de aproximadamente 40 colaboradores entre músicos, compositores, engenheiros de áudio e arranjores de vários países, o álbum foi apontado pela critica especializada como uma das melhores surpresas do ano.
- Aeromoças e Tenistas Russas + Vj Ocari (SP)
- Dj H (cachaça cinema clube – RJ)
- Cinemática convida Bruno Morais
vila cultural Cemitério de Automóveis
0h R$ 10,00 (inteira) R$5,00 (meia)
rua joão pessoa, 103-A / fone 3344 5998
Dia 11 – Sábado
14h – 6º Seminário de Cinema Contemporâneo | Cine Vila Rica – Entrada Franca
Apresentação e debate: Luiz Carlos Oliveira Jr. (revista contracampo)
A Última Estrada da Praia (RS, fic, cor, 93 min, digital, 2010) | Fabiano de Souza
Com Miriã Possani, Marcelo Adams, Rafael Sieg e Marcos Contreras.
Leo, Norberto e Paula são amigos íntimos. No início de uma viagem para o litoral, eles conhecem um estranho que não fala. Enquanto o novo amigo silencioso se defronta com seus temores, os três mergulham nas fronteiras de um relacionamento triangular. Nas areias intermináveis das praias gaúchas, eles descobrem que é impossível ser alegre o tempo inteiro.
17h – Mostra Olhar Radical | Cine Vila Rica – Entrada Franca
Além da Estrada (BRA/URU, fic, cor, 85 min, 35mm, 2010) | Charly Braun
Com Esteban Feune de Colombi, Jill Mulleady, Guilhermina Guinle e Hugo Arias.
Sem perspectivas, Santiago, um argentino próximo de seus trinta anos, decide ir ao Uruguai conhecer um terreno deixado por seus pais, mortos tragicamente alguns anos antes. Na chegada, ele encontra Juliette, uma jovem belga em busca de um amor do passado e de uma nova vida. O que parecia ser uma simples carona acaba se transformando em uma breve, porém intensa, jornada. Visitando paisagens e pessoas perdidas no tempo, eles dividem experiências que acabam por aproximá-los, numa relação de crescente afeto e ternura.

19h – Competitiva Paranaense | Cine Vila Rica – Entrada Franca
Intervalo (Curitiba, fic, cor, 8 min, digital, 2010) | Alexandre Rafael Garcia
Com Thiago Millarch, Poliana Rosa, Willian Scholz, Ana Carolina de Morais, Danielle Silva, Diego Gutierrez, Emanuel Cruz, Erick Tavares, Erik Eleutério, Francisco Salviano, Jennyfer Berté e Nayra Lima.
Pedro tem 16 anos, namora Ana e cursa o ensino médio. Em uma tarde qualquer: o colégio, olhares, a piscina. O azul.
Meu Medo (Curitiba, ani, cor, 11 min, 35mm, 2010) | Murilo Hauser
Independente de sua causa, o medo geralmente faz com que os sentidos da visão e da audição sejam instantaneamente aguçados. O ser amedrontado permanece imóvel e sem respirar, ou então se esconde em uma reação instintiva de escape à observação. O coração bate rápida e violentamente. A respiração acelera. As pupilas dilatam. Os olhos permanecem abertos.
O Muro (Curitiba, fic, cor e p&b, 5 min, digital, 2009) | Diego Florentino
Com Tiago da Rosa e Guto Affonso.
A bola de Igor, garoto novo em um bairro, vai para o quintal vizinho. Na tentativa de resgatar o brinquedo, duela com o desconhecido.
Oscar 07/02 (Curitiba, exp, cor, 9 min, digital, 2009) | João Krefer
Documentário experimental sobre uma obra contemporânea de arquitetura. (o Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba). Adaptando preceitos de Niemeyer, o filme explora o potencial estético da construção, ao invés de oferecer um mero registro funcional e “realista”.
Sweet Puppet (Londrina, ani, cor, 2 min, digital, 2010) | Alex Angelis
Em uma velha casa, enquanto o vovô está dormindo e a vovó estava indo se sentar em sua cadeira de rodas, o pequeno netinho deste casal de velhinhos estava curtindo o seu carrinho de brinquedo quando de repente este se quebra.
Wannabe (Curitiba, fic, cor, 20 min, digital, 2009) | Maurício Ramos Marques
Com Chico Nogueira, Claudete Pereira Jorge e Michelle Pucci.
Uma senhora, há muitos anos acostumada a uma vida solitária e pacata, é surpreendida com a chegada de um estranho casal de vizinhos. A presença do casal e os sons vindos do apartamento vizinho deixam a senhora extremamente perturbada despertando nela uma curiosidade obsessiva e doentia.
20h – Competitiva Nacional de Curtas | Cine Vila Rica – Entrada Franca
Ensolarado (MG, fic, cor, 14 min, 35mm, 2010) | Ricardo Targino
Com Pereira Da Viola, Mariene De Castro e Ariane Oliveira.
Um raio de sol lança luz sobre o singular e sempre extraordinário gesto humano de dizer adeus.
Avós (SP, fic, cor, 12 min, digital, 2009) | Michael Wahrmann
Com Oswaldo Avila, Sidney Szaja Barmak, Gessy Fonseca e Lucélia Machiavelli.
Leo faz dez anos. De uma avó, ele ganha meias; da outra, cuecas. Do avô, recebe uma câmera Super-8. Nesse meio tempo, descobre que Mônica Lewinsky é judia, que Clinton é o presidente da América, que os números nos braços dos avós são os responsáveis por ele ser gordinho e que a tal câmera não serve para mais nada.
Bailão (SP, doc, cor, 17 min, 35mm, 2009) | Marcelo Caetano
A memória de uma geração visitada por seus personagens. O cenário é o centro de uma grande cidade; o enredo, a urgência da vida. E o Bailão o ponto de convergência dessas histórias.
Amigos Bizarros do Ricardinho (RS, fic, cor, 20 min, 35mm, 2009) | Augusto Canani
Com Ricardo Lilja, João Batista Diemer e Matheus Phillippi.
Um estagiário estranho. Um trabalho sufocante. Quando a pressão se torna insuportável, Ricardinho reage compartilhando com seus novos colegas as histórias bizarras de seus amigos da cidade de Viamão. Baseado na história de Ricardo Lilja.
21h30 – Mostra Olhar Radical | Cine Vila Rica – Entrada Franca
Alô, Alô, Terezinha (RJ, doc, cor e p&b, 95 min, 35mm, 2009) | Nelson Hoineff
O maior fenômeno de comunicação do país, politicamente incorreto, radical, renovador, Abelardo Barbosa, o Chacrinha (1917-1988), mudou para sempre a televisão brasileira e expressou um Brasil despercebido em torno dela. Sua trajetória é contada pela óptica do próprio apresentador e pelos depoimentos de chacretes, calouros e artistas que passaram pelos programas.
0h – Sessão da Meia-Noite | Cine Vila Rica – Entrada Franca
Getsêmani (SP, fic, cor, 70 min, digital, 2010) | Mário Bortolotto
Com Mário Bortolotto e Marcelo Mirisola.
Um grupo extremista seqüestra um editor de livros de auto-ajuda e tem como finalidade persuadi-lo a publicar literatura de primeira grandeza.
Dia 12 – DOMINGO
11h – Debate – Crystal Palace Hotel – Entrada Franca


Mercado de Cinema no Paraná
Marcos Cordiolli (Ancine), Salete Sirino (Avec) e Rodrigo Bouillet (Cine Mais Cultura)
Debate sobre Cinema e Mercado a partir das leis de incentivo à cultura (Rouanet/Audiovisual) com o objetivo de estimular a produção de cinema em Londrina e região, bem como dialogar sobre a função social e as co-responsabilidades de produção artística, especificamente, do Cinema, entre empresários, produtores independentes e representantes de cultura dos municípios.
14h – 6º Seminário de Cinema Contemporâneo | Cine Vila Rica – Entrada Franca
Apresentação e debate: Luiz Carlos Oliveira Jr. (revista contracampo)
Vigias (PE, doc, cor, 70 min, 35mm, 2010) | Marcelo Lordello
Com Seu Ary, Seu Lucena, Pequeno, Damião, Samuel, Pedro e Gilm.
Enquanto dormimos, outros vigiam. Homens que velam o sono da cidade e seus medos. Fornecendo etéreas sensações de segurança. Intermediando a noite, revelando seus hábitos e suas observações.
16h – Mostra Olhar Radical | Cine Vila Rica – Entrada Franca
Um Lugar ao Sol (PE, doc, cor, 71 min, HD, 2009) | Gabriel Mascaro
Documentário que reúne depoimentos de moradores de luxuosas coberturas de Recife, Rio de Janeiro e São Paulo. O diretor conseguiu acesso aos moradores através de um curioso livro que mapeia a elite e pessoas influentes da sociedade brasileira. No livro, foram catalogados 125 donos de coberturas. Desses, apenas 8 cederam entrevista. O documentário oferece um rico debate sobre desejo, visibilidade, altura, status e poder. É um filme que reflete sobre a classe dominante brasileira e a verticalização das cidades, abordando o imaginário sócio-cultural de um grupo pouco problematizado na cinematografia nacional.
17h30 – Mostra Olhar Radical | Cine Vila Rica – Entrada Franca
Pacific (PE, doc, cor, 72 min, digital, 2009) | Marcelo Pedroso
Uma viagem de sonho em um cruzeiro rumo a Fernando de Noronha. As lentes dos passageiros captam tudo a todo instante. E eles se divertem, brincam, vão a noitadas. Desfrutam de seu ideal de conforto e bem-estar. E, a cada dia, aproximam-se mais do tão sonhado paraíso tropical.
19h Mostra Olhar Radical | Cine Vila Rica – Entrada Franca
Laura (RJ, doc, cor, 52 min, HD, 2010) | Felipe Barbosa
Diretor tenta fazer filme sobre personagem misteriosa.
20h – Competitiva Nacional de Curtas | Cine Vila Rica – Entrada Franca
Faço de Mim o que Quero (PE, doc, cor, 19 min, 35mm, 2009) | Sérgio Oliveira e Petronio Lorena
Com Conde do Brega, Kelvis Duran, João do Morro, Vicio Louco, Rodrigo Mell, Sarita, Samara Cipriano, Renatinha é Show e outros.
Tô nem aí.
Gaveta (RS, fic, cor, 8 min, HD, 2010) | Richard Tavares
Com João Carlos Castanha.
Um homem buscando espaço.
Meu Medo (PR, ani, cor, 11 min, 35mm, 2010) | Murilo Hauser
Independente de sua causa, o medo geralmente faz com que os sentidos da visão e da audição sejam instantaneamente aguçados. O ser amedrontado permanece imóvel e sem respirar, ou então se esconde em uma reação instintiva de escape à observação. O coração bate rápida e violentamente. A respiração acelera. As pupilas dilatam. Os olhos permanecem abertos.
Recife Frio (PE, fic, cor, 23 min, 2009) | Kléber Mendonça Filho
Com Andrés Schaffer, Yannick Ollivier, Rodrigo Riszla e Lia de Itamaracá.
A cidade brasileira de Recife, que já foi tropical, agora é fria, chuvosa e triste, depois de passar por uma desconhecida mudança climática.
21h – Trincheira Filmes | Cine Vila Rica – Entrada Franca
N. 27 (PE, fic, cor, 19 min, 35mm, 2008) | Marcelo Lordello
Com Caio Almeida, Jorge Queiroz, Lucas Glasner, Renata Roberta, Alexandre Sampaio, Marília Mendes e Ana Claudia Wanguestel.
- O banheiro tá na limpeza – responde segurando a maçaneta, com toda força. – Limpeza?!? – É, procura outro por favor.
O Décimo Segundo Andar (PE, fic, cor, 20 min, 35mm, 2008) | Leonardo Lacca
Com Irandhir Santos e Rita Carelli.
No décimo segundo, o silêncio passa a ser ensurdecedor.
Muro (PE, fic, cor, 16 min, 35mm, 2008) | Tião
Com Antônio Edson, Renata Lima, Inaê Veríssimo e José Humberto.
Alma no vácuo, deserto em expansão.
22h – Premiação – Troféu Udihara | Cine Vila Rica – Entrada Franca
Haruo Ohara (Londrina, fic/doc, cor e p&b, 15 min, 35mm, 2010) | Rodrigo Grota
Com Marco Hisatomi, Rogério Ivano, César Sumyia e Haruo Ohara.
“Hoje você vê a flor. Agradeça à semente de ontem”.
23h – Barbada | Bar Valentino | R$10 (inteira) R$5 (meia)
Cluster Sisters (swing 30´s e 40´s)
+discotecagem BARBADA/EDGROOVE
bar valentino
av. faria lima, 486 / fone 3348 0791
The Golden Era of Swing
Para aqueles que apreciam o bom e velho swing 30’s e 40’s a banda CLUSTER SISTERS, inspirada nas irmãs Andrew Sisters, relembra clássicos como Boogie Woogie, Route 66 e In The Mood, além de adaptar arranjos contemporâneos ao mesmo estilo. Da expressão musical “cluster” o grupo formado em 2008, pelo trio vocal Gabriela Catai, Giovanna Correia e Maitê Motta e os músicos Eduardo Rorato, Emílio Carlos (Mizão), Filipe Barthem e Matheus Gonsales, desenvolve um trabalho ousado e promete todo o charme e glamour da Era de Ouro do Swing. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário