Primeira Parada: Rolândia

Lambreta e seu chapéu voador. foto: Lafaiete do Vale
Dia 3 de setembro de 2010, Lambreta, Mereceu e Companhia desembarcaram em Rolândia, cidade situada no Norte Paranaense, com pouco mais de 55.000 habitantes. 

Foram agendadas duas apresentações a convite da Secretaria de Educação e Cultura,  integrando a '1o. Rolândia Mostra Humor'. Além disso, esta cidade é a primeira a ser contemplada pela circulação do espetáculo, contemplado com o Prêmio Carequinha de Estímulo ao Circo 2010 - FUNARTE. 
foto: Lafaiete do Vale
foto: Lafaiete do Vale


O projeto criado pelo grupo, contempla cidades com população abaixo de 60.000 habitantes, situadas na região Norte do Paraná. A idéia é levar o espetáculo para locais onde dificilmente chegam produções artísticas. É  importante um parênteses dizendo que há um ou dois anos, a Secretaria de Cultura de Rolândia vem realizando uma mudança na sua postura e promovendo atividades culturais significativas para a cidade. Mérito da Secretária de Cultura e de um amigo nosso, o Junior, que está fazendo um ótimo trabalho por lá. 

Voltando ao assunto, outro orgulho da dupla é a idéia de registrar em vídeo e fotos todas as viagens, as pessoas, as reações, algumas entrevistas, um 'pedacinho' de cada lugar que nos receber. Após as viagens, a vontade é de transformar esse material em algo como um documentário ou um diário em audiovisual e/ou impresso. Claro que isso será uma outra etapa, inclusive de captação de recursos e parceiros. E por falar  em parceiros, é importante dar crédito ao Lafaiete do Vale, que abraçou nossa idéia e está sendo um 'baita' parceiro nesse projeto. E a Fernanda Stein, nossa super-produtora, sempre ligada pra tudo correr bem.

A apresentação da manhã foi ótima, mas a apresentação da tarde foi inesquecível. Eram mais de 300 crianças a nossa volta, ávidas pelo espetáculo. Com muita energia, ligadíssimas (é só conferir na foto abaixo) Isso que nos move a continuar, e pensar que esse é o caminho. 
foto: Lafaiete do Vale

Independente do "suporte", gosto de atuar. Pode ser numa Sala, num grande teatro, em frente a uma câmera ou em uma quadra; mas a energia que a rua troca com o artista é indescritível. As figuras que encontramos, conversamos, as histórias que conhecemos só um artista que se apresenta na rua sabe do que estou falando.

É isso!

Para conhecer um pouco sobre o trabalho do Lafaiete, clique aqui
foto: Lafaiete do Vale
foto: Lafaiete do Vale

Nenhum comentário:

Postar um comentário